SJ News - шаблон joomla Авто

 pontotransp

faixa jubileu grande2

Trânsito de São Francisco

C. A celebração do Trânsito de São Francisco de Assis é um costume tradicional da Ordem Franciscana. Encerra o mistério da vida, morte e ressurreição. Conhecedores desta realidade maravilhosa e, ao mesmo tempo, angustiante e cheia de esperança, queremos, a exemplo do Seráfico Pai, celebrar o dom da vida e aceitar a morte como irmã, caminho único para a ressurreição. Na véspera de sua festa, como irmãos e filhos do Santo de Assis, desejamos meditar sobre sua passagem deste mundo para a eternidade e erguer nosso canto de louvor e súplica àquele que, por vocação, escolhemos como Guia e Pai.

Canto apropriado...

D. Irmãos, “nenhum de nós vive para si e ninguém morre para si. Se vivemos, vivemos para o Senhor; se morremos, morremos para o Senhor. Quer vivamos, quer morramos, pertencemos ao Senhor”.

T. Louvado sejas, meu Senhor,/ pela vida e pela irmã morte corporal / da qual homem algum pode escapar.

D. O jovem e ardoroso Francisco alimentou ideais de grandeza e de nobreza. Aspirou pela honra e pela glória. Sonhou ser coroado cavalheiro. Decidiu pôr-se a serviço dos poderosos para chegar ao poder. Mas desde o momento em que, tocado pela graça, percebeu que tudo isso estava preferindo o servo ao Senhor, decidiu-se a abandonar tudo para unicamente servir ao Senhor.

T. “Outra coisa não desejemos,/ nem queiramos,/ nem nos alegre,/ senão o nosso Criador,/ Redentor e Salvador,/ o único e verdadeiro Deus / que é o bem pleno,/ o sumo e verdadeiro bem”.

D. Este é o momento de louvor a Deus. Louvor a Deus foi a vida de São Francisco de Assis. Louvor a Deus foi a sua morte. O Evangelho tinha se tornado sua vida. A semelhança com Cristo se fizera tão grande que ele trazia em seu corpo os estigmas do Senhor. Francisco é o homem católico e todo apostólico. Por Deus foi enviado para preparar o Evangelho da Paz.

T. Com São Francisco, também nós louvamos a Deus./ O Evangelho será a nossa vida / e nossos passos andarão à procura do Senhor.

C. Com extrema rapidez se aproxima o momento da morte de São Francisco de Assis. Com 44 anos de idade ele morre. Nasce para Deus. Ouçamos, com veneração, a narrativa dos últimos momentos de sua vida, conforme no-los descreve São Boaventura.

Sentados.

L.Muito tempo antes, Francisco ficou sabendo a hora de sua morte e quando ela estava próxima, comunicou aos irmãos que deixaria em breve seu corpo, essa tenda em que sua alma havia feito acampamento, como lhe revelara o Senhor. Dois anos depois de ter recebido os estigmas, vinte anos após sua conversão pediu para ser transportado a Santa Maria da Porciúncula a fim de pagar seu tributo à morte e receber em troca e recompensa a eternidade, no mesmo local em que, pela Mãe de Deus, ele mesmo conhecera o Espírito de graça e de perfeição. Chegado a este local e querendo mostrar pelo exemplo que nada tinha em comum com o mundo, nesta doença que deveria ser a última, mandou que o colocassem nu sobre a terra, a fim de nesta última hora em que o inimigo desfecharia talvez contra ele o último assalto, ele pudesse lutar nu contra o adversário nu. Lá estava ele deitado, atleta nu, sobre a terra e na poeira, a mão levada à chaga do lado direito para ocultá-la aos olhares dos presentes, fixando o céu, como gostava de fazer, fisionomia tranqüila e aspirando com todas as veras de sua alma à glória eterna. Começou então a louvar o Altíssimo por tanta glória: a de ir ele inteiramente livre, desembaraçado de tudo.

Aproximava-se a hora. Mandou vir todos os irmãos presentes então na Porciúncula e com algumas palavras de consolo para amenizar-lhes o pesar, exorto-os de todo o coração de Pai a amar a Deus. Em herança legou-lhes como propriedade a pobreza e a paz; recomendou-lhes que orientassem sempre seus desejos para os bens eternos e se premunissem contra os perigos deste mundo. Encorajou-os, com toda a força persuasiva de sua palavra, a seguirem perfeitamente as pegadas de Jesus crucificado. Todos os seus filhos formavam por assim dizer uma coroa em volta do patriarca dos pobres; o santo, quase cego, não de velhice, mas por causa das lágrimas, e já à portas da morte, estendeu as mãos, entrecruzou os braços como lhe aprazia muitas vezes, e abençoou todos os irmãos, os ausentes como os presentes, pelo poder e nome do Crucificado.

Em seguida, pediu que fosse lido o texto de São João que começa assim: “Antes da festa da Páscoa, sabendo Jesus que chegara a sua hora de passar deste mundo ao Pai, havendo amado os seus que estavam no mundo até o extremo o amou...” queria ouvir nessa mensagem do Evangelho o chamado do Bem-Amado de quem estava separado apenas pela simples parede da carne. Por fim, tendo-se realizado nele todos os planos de Deus, o bem aventurado adormeceu no Senhor, rezando e cantando um salmo. Sua santíssima alma se desprendeu da carne para ser absolvida no abismo da claridade de Deus”.

Homilia

C. Procurando sentir em nós os sentimentos que invadiam a alma de São Francisco que se despedia do mundo, bem como a emoção dos irmãos que o viam partir, ouçamos o canto do salmo 141, recitado por São Francisco antes de morrer.

Aqui se cantará a Antífona e o salmo 141. Poderão ser também recitados.

Antífona.

Ó alma santíssima, em cujo passamento
acorrem os cidadãos dos céus,
os coros dos anjos exultam
e a gloriosa Trindade convida, dizendo:
permanece conosco para sempre.

Salmo 141

Vós sois o meu refúgio, Senhor!
Em voz alta ao Senhor eu imploro,*
em voz alta suplico ao Senhor!
Eu derramo na sua presença +
o lamento da minha aflição,*
diante dele coloco minha dor!
Quando em mim desfalece a minh’alma,*
conheceis, ó Senhor, meus caminhos!
Na estrada por onde eu andava*
contra mim ocultaram ciladas.
Se me volto à direita e procuro, *
não encontro quem cuide de mim,
e nem aonde fugir;*
não importa a ninguém minha vida!
A Vós grito, Senhor, a Vós clamo! +
E vos digo: “Sois Vós meu abrigo,*
minha herança na terra dos vivos”.
Escutai meu clamor, minha prece,*
porque fui por demais humilhado!
Arrancai-me, Senhor, da prisão,*
e em louvor bendirei Vosso nome!
Muitos justos virão rodear-me*
pelo bem que fizeste por mim.
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo.
Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Antífona.

Ó alma santíssima, em cujo passamento
acorrem os cidadãos dos céus,
os coros dos anjos exultam
e a gloriosa Trindade convida, dizendo:
permanece conosco para sempre.

Repetida a Antífona, apagadas as velas, faz-se a oração dos fiéis dizendo-se, após o Pai Nosso, a Antífona: “Salve, Pai Santo”.

D. Irmãos caríssimos, lembrando os grandes feitos que o Senhor realizou em Francisco e por Francisco, apresentemos, cheios de confiança, nossos pedidos a Deus:

L1. Pai Santo, que tornastes Vosso servo Francisco perfeito imitador do Vosso Filho, fazei que também nós, seguindo seus passos, observemos fielmente o Evangelho de Cristo.

T. Senhor, escutai a nossa prece!

L2. Pai Santo, dirigi nossos passos pelo caminho da paz, mostrado a nós por nosso Pai São Francisco, para que vivamos com sinceridade de coração, em obediência, sem propriedade e em castidade.

T. Senhor, escutai a nossa prece!

L3. Pai Santo, que dispersais os soberbos e exaltais os humildes, fazei que sigamos o Pai Seráfico na humildade.

T. Senhor, escutai a nossa prece!

L4. Pai Santo, que assinalastes o Vosso servo Francisco com os sagrados estigmas da Paixão de Vosso Filho, ensinai-nos a gloriar-nos sempre com verdadeira alegria da cruz de nosso Senhor Jesus Cristo.

T. Senhor, escutai a nossa prece!

L5. Pai Santo, ensinai-nos a viver o Evangelho de Jesus Cristo, e a ser instrumentos de paz, união, esperança e luz do mundo.

T. Senhor, escutai a nossa prece!

D. Pai Nosso...

Salve, Pai santo,

luz da pátria, modelo dos Menores,
espelho da virtude, caminho da retidão, norma dos costumes,
conduzi-nos do exílio da carne ao Reino dos Céus.

V. Francisco, o pobre, Francisco, humilde, entra vivo nos céus.

R. Com hinos celestes é honrado e louvado.

D. Oremos: Ó Deus, que fizestes o nosso Pai São Francisco assemelhar-se ao Cristo por uma vida de humildade e pobreza, concedei que, trilhando o mesmo caminho, sigamos fielmente o Vosso Filho, unindo-nos convosco na perfeita alegria. Por nosso Senhor...

D. O Senhor esteja convosco.
T. Ele está no meio de nós.
D. O Senhor vos abençoe e vos guarde.
O Senhor vos mostre a sua face e se compadeça de vós.
O Senhor volva o seu rosto para vós e vos dê a paz.
O Senhor + vos abençoe.
D. Bendigamos ao Senhor.
T. Demos graças a Deus.

A bênção pode ser dada com a relíquia de São Francisco. Após a bênção, o sacerdote pode apresentar a relíquia para ser osculada. Enquanto isso, pode-se cantar um canto de São Francisco ou a São Francisco como Cântico das Criaturas ou “Senhor, fazei-me instrumento”.

Nada impede que o Trânsito também seja inserido nas Vésperas, colocando-se a Antífona e o salmo 141 como terceiro salmo.


 

Novena a São Francisco

1. Invocação ao Espírito Santo.

2. Oração preparatória.

Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, recebei nosso solene tributo de louvor nesta novena que fazemos em honra do glorioso São Francisco de Assis.

Nós vos adoramos, Trindade Augusta, pelo radicalismo com que São Francisco viveu o Evangelho, de propósito para opor-se ao espírito invasor e sedutor do mundo corrompido.

Enviai do alto, ó santo Deus, os dons do Vosso espírito sobre todos os cristãos para que sejam decididos a viver sem atenuação dos princípios do Evangelho, que assumiram no Batismo. Assim seja.

3. Ladainha de São Francisco

4. Oração: Glorioso São Francisco, o mundo todo vos admira e venera, e ainda hoje sois um santo que impressiona e comove do mesmo jeito como quando vivestes, há oitocentos anos.

São Francisco, vós nos ensinais, desta maneira, que o mundo ama os que condena e que o testemunho forte de autenticidade vale mais que a pregação. Vós nos ensinais que nós também podemos transformar o mundo com nosso testemunho e nossa decisão. Grande é a vossa valia diante de Deus, ó São Francisco, por causa da vida rigorosa que escolhestes por amor a Deus. Assim seja.

5. Leitura bíblica com reflexão.

6. Invocações:

a. São Francisco, que abandonastes a casa, a loja rica, as diversões e todas as vaidades, num exemplo de renúncia total a tudo quanto poderia servir de entrave ao seguimento literal do Evangelho, dai-nos coragem de aceitar o Evangelho. (Pai Nosso, Ave Maria...)

b. São Francisco, que escolhestes a pobreza proposital mais rigorosa, como libertação para o seguimento total do Cristo pobre e crucificado, dai-nos coragem de seguir em tudo o Evangelho. (Pai Nosso, Ave Maria...)

c. São Francisco, que escolhestes para veste um saco de burel, e raspastes a cabeça por desprezo pelo mundo, para seguir de perto o Cristo humilhado, e tido por louco, dai-nos coragem de viver segundo o Evangelho. (Pai Nosso, Ave Maria...)

Oração

“Ó Deus que fizestes São Francisco assemelhar-se ao Cristo por uma vida de humildade e pobreza, concedei que, trilhando o mesmo caminho, sigamos fielmente o Vosso Filho, unindo-nos convosco na perfeita alegria”.

E Vós, grande Santo, acompanhai nossos passos durante esta peregrinação, para não nos desviáramos do caminho da cruz, da humildade e da pobreza voluntária até morrer na graça de Deus. Que esta novena nos ajude a ser vossos fiéis lutadores, por amor de Cristo e da salvação. Assim seja.

7. Benção:

Que o Senhor nos abençoe,
guarde-nos de todo o mal,
e nos conduza à vida eterna.
Amém.

8. Canto final.


 

Ladainha de São Francisco

Senhor, tende piedade de nós.
Cristo, tende piedade de nós.
Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, ouvi-nos.
Jesus Cristo, atendei-nos.
Deus Pai dos céus, tende piedade de nós,
Deus Filho, Redentor do mundo,
Deus Espírito Santo,
Santíssima Trindade, que sois um só Deus,
Santa Maria, Virgem Imaculada, rogai por nós,
São Francisco Seráfico,
São Francisco, Pai sapientíssimo,
São Francisco, Pai dos pobres,
São Francisco, irmão universal,
São Francisco, que desprezastes o mundo,
São Francisco, espelho da penitência,
São Francisco, vencedor dos vícios,
São Francisco, imitador de Cristo,
São Francisco, com as chagas de Jesus adornado,
São Francisco, amante da pobreza,
São Francisco, mestre da obediência,
São Francisco, espelho puríssimo de castidade,
São Francisco, norma da humildade,
São Francisco, pai rico de graças,
São Francisco, caminho dos que erram,
São Francisco, auxílio dos enfermos,
São Francisco, arauto da paz,
São Francisco, coluna da Igreja,
São Francisco, protetor da fé,
São Francisco, herói valente de Cristo,
São Francisco, baluarte dos que pelejam,
São Francisco, escudo inexpugnável,
São Francisco, martelo dos hereges,
São Francisco, apóstolos dos infiéis,
São Francisco, sustentáculo dos fracos,
São Francisco, ressuscitador dos mortos,
São Francisco, patrono da ecologia,
São Francisco, saúde dos leprosos,
São Francisco, serafim do mais ardente amor,
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, perdoai-nos, Senhor.
Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, ouvi-nos, Senhor.
Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós.

V. Rogai por nós São Francisco.

R. Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

Oremos: Ó Deus que fizeste o seráfico pai São Francisco assemelhar-se ao Cristo por uma vida de humildade e pobreza, concedei que, trilhando o mesmo caminho, sigamos fielmente o Vosso Filho, unindo-nos convosco na perfeita alegria. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

T. Amém.