SJ News - шаблон joomla Авто

 pontotransp

faixa jubileu grande2

doutrina-2Decálogo
10 Mandamentos da Lei de Deus
Os dez mandamentos de Deus são as suas ordens e conselhos ao mesmo tempo. Deus os deu ao seu povo que estava a caminho para uma vida livre na Terra Prometida (Canaã). A observância dos mandamentos preservaria-o do perigo de não cair novamente na escravidão. Essa Lei da vida nova foi dada por intermédio de Moisés, no Monte Sinai (Dt 31,9-24). Foi-nos transmitida no Livro do Êxodo (Ex 20,1-17) e no do Deuteronômio (Dt 5,6-22). Os mandamentos não foram pensados por Deus como um jugo pesado para limitar a liberdade e a felicidade do homem. Pelo contrário, eles são o caminho seguro para a felicidade e para a realização humana (Dt 30,16; Mt 5,17;19,16-19;22,37-40; J 12,50).

O Decálogo forma uma unidade inseparável. Transgredir um dos mandamentos é infringir todos os outros (Tg 2,10-11). Todos eles são imutáveis e sua obrigação vale sempre, e em toda a parte. Ninguém pode dispensar-se deles. A transgressão de qualquer um dos mandamentos, sendo a desobediência explícita a Deus, é considerada como pecado grave, que rompe a comunhão com Deus.

Toda a Lei do Antigo Testamento Jesus resumiu em apenas dois mandamentos, ou seja, num Grande Mandamento de Amor: “Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, com toda a tua alma, com todas as suas forças e com todo o teu entendimento; e amarás o próximo como a ti mesmo”.

Esses são os Mandamentos de Deus:

1. Amar a Deus sobre todas as coisas.
2. Não tomar o Seu santo Nome em vão.
3. Guardar os domingos e dias santos.
4. Honrar pai e mãe.
5. Não matar.
6. Não pecar contra a castidade.
7. Não furtar.
8. Não levantar falso testemunho.
9. Não desejar a mulher do próximo.
10. Não cobiçar as coisas alheias.
Segue uma breve explicação de cada mandamento:
1º - AMAR A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS.
Veja Dt 6,4-5. Este mandamento coincide com o 1º artigo do Credo: CREIO EM UM SÓ DEUS.
Sim, não se deve adorar outros deuses. Os vícios, a ganância, o esporte, a família, os negócios e outras realidades da vida, para muitos seres humanos, ocupam o lugar de Deus, pretendendo-lhes o interesse exclusivo e escravizando-lhes o coração. Hoje também a religião quer conduzir o homem para fora do “Egito” que o escraviza. A religião deseja libertar, “a fim de que Deus seja tudo em todos” (1Cor 15,28). Quanto à veneração de imagens, diremos que Deus não proibiu as imagens. Ele até mandou fazer imagens para o templo de Jerusalém. Veja: Ex 25, 17-20; Nm 21,8; 1Rs 6,28. O que Deus proibiu é “ter outros deuses diante de mim”, por exemplo, fazer imagens que sejam adoradas como a Deus.
2º - NÃO TOMAR SEU SANTO NOME EM VÃO.
“Não transferirás o nome de Javé, teu Deus, para uma vaidade, porque Javé não poupará aquele que transferir o Seu nome para uma coisa vã”.
Podemos formulá-lo assim: DEUS é infinitamente santo e digno de toda a adoração. Por isso, devemos falar de Deus e de Jesus com respeito e santificar Seu Nome. Não gostamos que o nome da gente ande de boca em boca. Queremos o nosso nome respeitado, como também o nome do nosso pai e de nossa mãe. O nome significa a pessoa toda. Quem rebaixa ou suja o nome de alguém, humilha e ofende a própria pessoa. Por isso devemos também respeitar e honrar o nome de Deus, porque Ele é Santo. E só podemos jurar por Deus em circunstâncias muito graves e para afirmar uma palavra que corresponda à verdade (Cf. Eclo 23,9).
3º - GUARDAR OS DOMINGOS E FESTAS DE GUARDA.
“Lembra-te do dia do descanso para guardá-lo. Seis dias trabalharás e farás os teus afazeres. O sétimo dia, porém, é o descanso em homenagem a Javé, teu Deus”.
Podemos sintetizar o 3º mandamento assim: O próprio Deus ordenou que um dia da semana fosse destinado ao descanso e ao culto divino. No Antigo Testamento, esse dia era o sétimo dia da semana, o sábado. No Novo Testamento, dedicamos ao Senhor o primeiro dia da semana, que chamamos de domingo, porque foi no primeiro dia da semana que Nosso Senhor ressuscitou glorioso dos mortos. Foi também num domingo que enviou o Espírito Santo. É por isso que os cristãos consagram, desde o tempo dos apóstolos, o primeiro dia da semana, O DOMINGO, ao Senhor. Como é bom ter um dia livre, não dever trabalhar, nem ter compromisso! Isto dá uma sensação divina! Esta é a finalidade do domingo. O homem precisa do domingo para refazer as energias gastas no trabalho e para encontrar-se com Deus e com seus irmãos. No domingo também toda a comunidade paroquial se reúne na igreja. Adultos, jovens e crianças, todos juntos, louvam e agradecem ao Pai, criador do céu e da terra, participando da Santa Missa. É o ponto alto. Domingo sem Missa não é domingo. Muitos perguntam: é pecado grave faltar à Missa do domingo? Missa no domingo não é tanto problema de pecado, mas é, antes, problema de fé e de amor. No entanto, é também uma obrigação grave.
4º - HONRAR PAI E MÃE.
“Honra teu pai e tua mãe, para que se prolonguem os teus dias sobre a terra que Javé, teu Deus, te concede”.
Os pais nos introduziram na vida, nos deram educação e formação para entrar no mundo e nos agregaram ao povo de Deus. São, portanto, as pessoas mais dignas do nosso carinho, amor e gratidão.
OS FILHOS DEVEM AOS PAIS: Respeito: tratando-os com atenção e estima; amor: proporcionando
lhes pequenas alegrias; obediência: obedecer com alegria, como Cristo era submisso a seus pais em Nazaré. Os pais, por outro lado, devem educar os filhos dando-lhes a educação física, cultural, moral, religiosa, que as circunstâncias da vida e a sociedade de hoje requerem.
EMPREGADOR E EMPREGADO: o empregador deve tratar dos seus súditos com amor como filhos de Deus, respeitando a sua dignidade humana e dando-lhes um salário justo pelo seu trabalho.
5º - NÃO MATAR.
“Não cometerás homicídio”.
Recebemos a nossa vida de Deus como um presente. E Ele tem o direito de retomá-la. O homem é obrigado a cuidar de seu corpo, de sua saúde. Todo exagero no beber, no viver, no esporte... tudo o que prejudica a saúde, chega a ser pecado. “São infames as seguintes coisas: Homicídio, genocídio, aborto, eutanásia, suicídio, mutilações, tormentos corporais e mentais, prisões arbitrárias, as deportações, a escravidão, a prostituição, as condições degradantes de trabalho...” (GS 27).
6º - NÃO COMETER ADULTÉRIO.
"Não cometerás adultério”.
Este mandamento da Lei de Deus é a proteção do matrimônio e da própria família. O catecismo deu a este Mandamento esta formulação: “Não pecar contra a castidade”, baseado em textos bíblicos, como por exemplo: “O corpo não é para a impureza, ele é para o Senhor, e o Senhor é para o corpo” (1Cor 6, 13). O Corpo humano é realmente uma obra de arte de Deus. Nele tudo é bom e valioso. Nele não existe nada que seja desprezível. Ele é o templo do Espírito Santo. Pelos sacramentos, ele foi consagrado ao Senhor. Guardar a castidade, portanto, significa fazer um reto uso das faculdades sexuais que Deus colocou no nosso corpo. É ter uma atitude correta diante do sexo. O sexo está em função de um valor superior, que é o amor e a procriação de um ser humano. Não é ponto de partida do amor. Ao contrário, é conseqüência do amor, que tem a sua expressão mais viva no ato matrimonial. O sexo é válido e meritório quando usado dentro do Plano de Deus, que é doação espiritual e física entre homem e mulher dentro do matrimônio, para provar seu amor e para gerar nova vida humana. Em nossos dias existe a “ditadura” do sexo que prega uma liberdade desenfreada, amor livre, filmes e revistas pornográficas, etc. Entretanto, o sexo é um simples dom de Deus. Entre o homem e a mulher deve haver sempre uma atitude de sinceridade e de respeito.
7º - NÃO FURTAR.
“Não furtarás”.
Todos os que possuem bens devem repartir o pão com os menos favorecidos. Não só o supérfluo, mas também o que lhes é necessário. O mundo atual, apesar do seu progresso na ciência e na técnica, apresenta um número cada vez maior de vítimas da pobreza e da violência, quase sempre causadas pelas estruturas da injustiça da sociedade moderna. Por exemplo: desigualdades excessivas entre classes sociais, corrupções, especulação, poderes públicos insensíveis à miséria do povo, somas fabulosas aplicadas na fabricação de armas bélicas, etc.
Existem várias maneiras de roubar e prejudicar o próximo:
1. apoderar-se injustamente de um bem alheio, ao qual não tem direito;
2. deixar, de má fé, de entregar coisas achadas ou restituir coisas recebidas de empréstimos;
3. não pagar as suas dívidas;
4. não pagar um justo salário a seus empregados;
5. enganar aos outros usando peso, medidas ou moedas falsas;
6. cobrar pelo seu trabalho acima do seu valor;
7. chegar em atraso ou perder tempo no seu trabalho;
8. estragar ou deixar que estraguem bens públicos e alheios.

OBS.: Para o roubo ser perdoado, deve restituí-lo ao dono ou aos seus herdeiros e reparar os danos na medida do possível (Cf. Lc 19,8-10; Lv 19,35-36; Mc 10,19).
8º - NÃO LEVANTAR FALSO TESTEMUNHO.
“Não prestarás falso testemunho contra o teu próximo”.
O 2º Mandamento visa respeitar o nome de Deus, ao passo que o 8º mandamento nos manda amar
muito a verdade e a sinceridade. Jesus disse: seja vossa linguagem “sim, sim” “não, não”. Este mandamento nos proíbe de mentir e falar mal do próximo e, de modo especial, proíbe caluniar, isto é, inventar contra o próximo um mal que ele não cometeu. A boa fama é um grande bem, é um direito que a pessoa tem. O mais importante, porém, será o valor que possuímos aos olhos de Deus. Este nosso valor real ninguém nos poderá tirar.
9º - NÃO DESEJAR A MULHER DO TEU PRÓXIMO.
“Não cobiçarás a mulher do próximo, nem o seu escravo, nem a sua escrava”. Ensinou Jesus: “Eu, porém, vos digo: todo aquele que olhar uma mulher com mau desejo, já com ela cometeu adultério no seu coração” (Mt 5, 27-29).
Neste mandamento, Deus defende a união da família. Deus quer cortar o mal na sua raiz, pois o adultério começa no coração. Facilmente o coração se deixa seduzir. O pensamento gera o desejo e o desejo concebido gera o pecado, o adultério. E o adultério é uma grave injustiça ao cônjuge. Esquece-se da santidade do sacramento, da promessa de fidelidade. Esquece-se dos filhos...

A PROSTITUIÇÃO: Meretrício, ou prostituição, é o estado de uma mulher que se entrega a todos os que a desejam, seja por lucro ou por prazer. Por maior que seja a nossa compreensão e compaixão para com as prostitutas, é preciso dizer que a prostituição é uma ofensa à dignidade humana. “Não sabeis que vossos corpos são membros de Cristo? Tomarei, então, os membros de Cristo e os farei membros de uma prostituta? De maneira alguma” (1Cor 6, 15-16).
10º - NÃO COBIÇAR AS COISAS ALHEIAS.
“Não cobiçarás a casa do teu próximo... nem o seu gado, o seu jumento e tudo o que pertence ao teu próximo”. O apóstolo Paulo nos diz: “Nada trouxemos ao mundo, como tampouco nada poderemos levar. Tendo alimento e vestuário, fiquemos satisfeitos. Os que desejam enriquecer-se caem em tentações e armadilhas, em muitas cobiças irracionais e perniciosas que mergulham os homens na perdição ruinosa. Sim, a raiz de todos os males é o amor ao dinheiro. Por se terem deixado levar por ele, muitos se extraviaram da fé e se atormentam com muitos sofrimentos” (1Tm 6, 6-10).
É o pecado da cobiça. O 7º mandamento visa a apropriação indevida e ilegal da propriedade alheia, enquanto que no 10º mandamento proíbe-se a inveja e a cobiça como primeiros passos duma possível apropriação violenta e injusta. Deus tenciona afastar o perigo iminente do roubo. Jesus ensina a pobreza espiritual. “Felizes os pobres em espírito, porque deles é o Reino dos Céus” (Mt 5, 3). Veja também: Mt 6, 19-21; 19, 21; Lc 12, 19-21; 16, 1-13; 16, 19-31.
Jesus resumiu os dez mandamentos assim:
“AMARÁS AO SENHOR TEU DEUS DE TODO O TEU CORAÇÃO, COM TODA A TUA ALMA E COM TODO O TEU ENTENDIMENTO... AMARÁS O PRÓXIMO COMO A TI MESMO” (Mt 22,37-39).

 

Liturgia

Formacao liturgica2    Canto liturgico    Folheto dominical